Instalações Elétricas Civis

Diagramas para sistemas elétricos civis

Os esquemas para sistemas elétricos civis são utilizados para a construção de sistemas básicos, típicos de residências, que permitem ligar e desligar lâmpadas e distribuir eletricidade através de tomadas. Normalmente, o sistema elétrico de uma habitação inclui um painel geral, uma série de cabos elétricos, interruptores magneto-térmicos, um interruptor salva-vidas, dos soquetes para os vários eletrodomésticos, dos interruptores e um aterramento. O sistema, portanto, inclui dois circuitos, um de 16 Amperes para os soquetes e outro de 10 ampères para os interruptores de luz e pode ser interno, se construído dentro das paredes ou fora, se os cabos são feitos para deslizar em canais especiais retangular ou cilíndrico. A última solução é geralmente usada para salas de caldeiras, em paredes externas ou para alcançar áreas de difícil acesso de qualquer outra forma.

Sistemas elétricos civis normativos

A regulamentação dos sistemas elétricos civis remonta a 1990 e foi subsequentemente ampliada e revisada e tem o objetivo de definir os requisitos das instalações civis e as maneiras pelas quais elas devem ser projetadas e implementadas. Um papel importante neste sentido é desempenhado em Itália pelo CEI - Italian Electrotechnical Committee, uma associação reconhecida a nível europeu que trata da elaboração de regulamentos europeus e da disseminação da cultura de normalização a nível internacional. O CEI também lida com o desenvolvimento da simbologia e nomenclatura no campo eletrotécnico, estabelecendo os métodos para atingir níveis mínimos de segurança e promovendo as atividades relacionadas à certificação, tudo em conformidade com os padrões internacionais. Os documentos elaborados pela CEI são universalmente reconhecidos com as palavras "normas CEI" e desempenham um papel bem definido no cumprimento das obrigações legais.

Sistemas elétricos civis padrão

As primeiras regras para sistemas elétricos civis remontam a 1968, quando a lei de 1º de março de 1968 n. 186 relativos à construção de sistemas "de maneira artesanal" significando, nesse sentido, as usinas que aderiram ao regulamento do CEI. Mais tarde, em 1977, a lei de 18 de outubro de 1977, n.791, especificava a obrigação de vender equipamentos elétricos construídos com perfeição e, no ano seguinte, o Decreto Ministerial de 15/12/1978 especificava que a CEI estava encarregada de elaborar a legislação inerente. instalações e equipamentos elétricos. Em seguida, segue a lei 5 de março de 1990 n. 146 sempre na construção de uma maneira trabalhadora, considerando os materiais e componentes certificados pela UNI e CEI adequados. O último regulamento do setor data de 2008, com o Decreto Ministerial 22/01/2008 que introduz a conformidade das usinas se forem realizadas de acordo com a UNI, a CEI ou outras instituições pertencentes à União Européia.

Sistemas elétricos civis: Projeto de sistemas elétricos civis

Embora não seja impossível recorrer ao projeto do sistema elétrico civil, a menos que você seja um especialista e tenha conhecimento adequado sobre ele, é sempre aconselhável entrar em contato com uma empresa ou um profissional da área. Neste caso, o projeto deve ser sempre executado de acordo com as necessidades individuais e com uma análise cuidadosa dos custos e benefícios, com base não apenas nos atuais, mas também futuros. A lei obrigatória do projeto é apenas em alguns casos, vamos vê-los: utilitários condomínio com potência superior a 6 kw, usuários domésticos se a superfície da casa é de mais de 400 metros quadrados, usuários comerciais com uma superfície de mais de 200 metros quadrados, salas com alto risco de incêndio ou explosão, uso de lâmpadas fluorescentes especiais (neon).