Forma das cozinhas, espaço e funcionalidade

A forma correta deriva da função

Existe uma forma pré-estabelecida que é correta para uma cozinha? A priori, a resposta é não.

De fato, cada cozinha determina sua forma de acordo com as necessidades funcionais do usuário e o espaço disponível.

Desta forma, podemos ter uma forma de cozinha que satisfaz plenamente todos os pedidos, desde os mais simples até os mais exigentes, sem problemas.

Existem muitas formas que podem ser encontradas nas cozinhas, cada vez mais usadas, naquele canto. De fato, o cozimento em linha está perdendo dimensões em comparação com formas mais complexas, que criam movimentos espaciais no ambiente, carregando-o com estilo.

As cozinhas lineares são usadas principalmente em ambientes de extremo minimalismo nos quais queremos enfatizar a forma monolítica limpa do próprio elemento, geralmente realçada por um branco asséptico.

Tipos formais em horizontal

A forma da cozinha que gostaríamos para o nosso espaço é reta, em forma de U, em forma de L ou ainda mais complexa?

A resposta é diferente de acordo com os casos. De fato, a partir do layout do espaço a ser mobiliado com os móveis da cozinha, a forma final do elemento completo será derivada.

Sempre aplicável, uma cozinha em linha reta, a partir de cerca de 2 metros, até desenvolvimentos também muito distribuídos em comprimento. Neste caso, os espaços serão todos bem explorados com gavetas e elementos extraíveis com guias, sem qualquer problema.

No caso de tipos com ângulos retos, teremos que aplicar diferentes soluções nesses pontos, um pouco mais detalhados que lhe permitirão aproveitar todo o espaço disponível sem perder nem alguns centímetros.

Uma solução poderia ser os elementos de extração ou os elementos rotativos, que permitem alcançar os cantos mais escondidos da nossa curva.

Forma das cozinhas, espaço e funcionalidade: articulações formais em altura

A forma da cozinha, no entanto, não é dada apenas pelo desenvolvimento horizontal, mas também do vertical. De fato, se olharmos para a cozinha clássica de tempos idos, ela foi feita principalmente de bases e unidades de parede da mesma altura, desenvolvidas verticalmente. Hoje, no entanto, tendemos a articular e dar movimento às formas, criando espaços cheios e vazios, rebaixos, articulações dadas pelo movimento das alturas das unidades de parede, mas também das bases.

Desta forma, a monotonia da solução online é quebrada, criando efeitos espaciais agradáveis ​​e agradáveis.

Uma maneira de melhorar a forma da cozinha é alternar espaços dedicados às unidades de parede, a espaços vazios, a elementos desenvolvidos totalmente na vertical, criando um movimento que pode ser percebido mesmo à primeira vista. Além disso, o uso de prateleiras abertas aumentará o efeito de volume de toda a composição, tornando-se o protagonista do espaço da cozinha.