Cão e gato em casa

"> Cães e gatos, esses estranhos

Quem não conhece a expressão "comportando-se como um cachorro e um gato", chegou nos tempos modernos como um ódio ancestral que uniria esses dois amigos do homem, companheiros inseparáveis ​​de adultos e crianças?

Para uma boa coabitação do cão e gato em casa é aconselhável colocar em prática alguma medida pequena e acima de tudo para observar os seus próprios animais, para descobrir as respectivas diferenças e características de caráter.

De fato, o cão e o gato devem ser distinguidos acima de tudo com base em uma diferença fundamental, que tem suas repercussões nas quatro paredes domésticas: o cão é um animal que vive em matilha e, mesmo que sua domesticação seja considerada muito antiga, no traço instintivo desta atitude.

A domesticação não afetou esse instinto, na verdade o mudou e, de alguma forma, o cão desenvolveu em novas formas a necessidade de companhia, procurando um vínculo forte com o homem de quem se sente dependente.

Do homem o cão precisa sentir a presença e também o domínio, reconhecendo nele uma espécie de "capobranco" e sentindo-se seguro sob sua proteção.

Esta necessidade de ordem e hierarquia não pode ser encontrada no gato, mesmo em todos os pêlos e croquetes que adora estar em casa, que só ocasionalmente sai para o jardim.

O gato é autônomo, independente nas iniciativas e, ao contrário do cão, nem sempre tolera as manifestações de afeto de mestres e convidados.

"> Diferentes formas de comunicação

Na base das diferenças entre os dois animais estão as muitas diferenças que os distinguem. Mesmo as mensagens que o cão e o gato em casa jogam pelo corpo, embora idênticas, podem ter sinais opostos: por exemplo, se o cão abana o rabo significa que ele está feliz e pronto para brincar, enquanto o gato com os movimentos da cauda em guarda ou manifesta seu aborrecimento. Essas são formas diferentes de comunicação que devem ser levadas em consideração para iniciar uma convivência pacífica. O gato não tem uma postura submissa e quando está deitado de costas no tatame ele está adotando uma posição defensiva ou quer convidar alguém para brincar com ele. O cão interpreta essa postura como um gesto de submissão e, aproximando-se, é surpreendido pelo gato que acaba coçando-o, parecendo lunático sem motivo.

"> Por que eles se comportam como cães e gatos?

Outros problemas em casa podem surgir do fato de que ambos os animais são predadores. Agora, é bom saber que o território do cão em casa é tudo o que está na altura do chão e às vezes do sofá. O gato em vez disso, podendo escalar, tem um território que também se desenvolve em altura onde normalmente encontra abrigo e pode observar o que acontece. Se o gato marca o território com feromônios e arranhões, ele está se dirigindo a todos os habitantes da casa, incluindo o cachorro. Até o cão marca o território, mas dificilmente o faz em casa porque a sua mensagem é dirigida a outros machos.

"> Cão e gato em casa: a coabitação é possível

Apesar de todas essas diferenças e do ódio ancestral que a mídia transmite com desenhos famosos, você pode fazer algo para não deixar os melhores amigos do homem lutarem.

É aconselhável, quando já existe um animal em casa e esperar a chegada do outro, avaliar o grau de familiarização que podem ter um com o outro através de breves encontros.

O grau de adaptação de cães e gatos não é uma questão de raça, mas pode depender das experiências de cada indivíduo e comportamento individual.

Na frente de um gato, um cachorro grande pode permanecer em paz enquanto um cachorro pequeno explode em latidos e excitação nervosa. Se o gato é a nova chegada, é bom ter em mente que para ele o homem como o cão representa dois predadores para evitar.

Se nas primeiras semanas de vida ele conheceu pessoas de diferentes idades e cães de várias raças, essas imagens permanecem em sua memória e, revividas com o tempo, ajudam o animal a se familiarizar e confiar naqueles que podem percebê-los como estranhos perigosos. O afeto deve ser bem distribuído, levando em conta o fato de que o animal que já está em casa pode perceber o recém-chegado como uma ameaça e ficar com ciúmes, por isso deve ser tranquilizado com a devida atenção.

Para tornar possível a convivência entre o cão e o gato em casa, é bom que o homem não procure a amizade entre seus dois amigos, mas a tolerância, dando o seu próprio espaço.