Alugar para resgatar

Alugar para resgatar

As rendas são representadas por um conjunto de dois contratos diferentes: o primeiro é um arrendamento real, o segundo é um contrato de opção de compra. Este método de comprar uma casa permite-lhe alugar uma casa, pela qual paga uma quantia mensal; depois de 3-5 anos você tem a oportunidade de comprar a casa, calculando que o preço é acordado no momento da assinatura do contrato de opção, e deste é deduzido uma certa percentagem do dinheiro já pago para o aluguel, geralmente 50 %.

Desta forma aqueles que não têm a possibilidade de acender uma hipoteca, ou, no momento, não possuem a liquidez necessária, podem esperar de 3 a 5 anos para tomar a decisão de comprar a casa; mas nesse meio tempo ele pode morar lá, pagando uma taxa regular. Nesse período de crise econômica, esse tipo de aluguel está ganhando cada vez mais espaço, e o número de contratos estipulados na Itália quase dobrou nos últimos anos. Claramente, as vantagens não são apenas para o comprador.

As vantagens para o comprador

Alugar para resgatar de vantagens claras para o comprador: o preço de compra da casa é estabelecido hoje, enquanto a casa será realmente comprada após um período de tempo acordado; se o valor da casa aumentar, o valor da compra continuará sendo o inicialmente acordado. Se, então, o comprador não tiver a oportunidade de comprar uma casa hoje, ele poderá esperar por uma mudança em sua disponibilidade econômica nos próximos anos.

Em muitos casos este tipo de contrato é estipulado por quem já possui uma casa, pretende mudá-lo, mas não pode vendê-lo; com esse tipo de contrato ele já pode escolher sua futura casa, e até mesmo ir morar lá, parando o preço: ele terá muitos meses para vender sua propriedade anterior. Além disso, em um caso como este, a compra da segunda casa seria vista pelo Estado como a compra de uma casa de férias ou para investimento e, portanto, o comprador deveria pagar mais impostos pela venda.

As vantagens para o vendedor

O vendedor goza de claras vantagens ao firmar um contrato de aluguel de resgate, especialmente hoje, dado que o mercado imobiliário está em crise, e os preços tendem a cair: tem a possibilidade de entrar em um contrato de opção de venda, fixando o preço da casa para uma figura que de outra forma provavelmente tenderá a cair nos próximos anos. Além disso, o comprador pode receber um aluguel, geralmente 45-50% superior ao preço de mercado; entretanto, estes são rendimentos mensais seguros.

No final do contrato de locação, o inquilino pode exercer sua opção de compra, e parte da taxa paga será deduzida do preço final da casa; mas se o inquilino desistir da compra, o comprador terá recebido por muitos meses um aluguel muito maior que o necessário para a casa em questão, e se o inquilino ficar na casa alugada, esse número não virá mudado. Claramente, numa situação em que o mercado imobiliário é mais dinâmico, com o valor da habitação em ascensão, este tipo de contrato pode não ser tão interessante para os vendedores.

As desvantagens para o comprador

As rendas são 45-60% mais altas do que o preço de mercado, porque boa parte desse valor será destinada à futura compra da casa. Se o contrato prevê um período de 3-5 anos antes de poder exercer a opção de comprar a casa, isso significa que por muitos meses o aluguel será decididamente alto, e permanecerá assim mesmo se no final do contrato for decidido continuar com um contrato de arrendamento e não para comprar. Quando o contrato é estipulado, o preço de venda também é estabelecido; se ao longo dos anos a casa devesse desvalorizar, o comprador poderia perder uma boa porcentagem do valor da casa, encontrando-se tendo que comprar uma casa a um preço superior ao mercado real. O que é certo é que, se você decidir alugar uma casa, o valor mensal pago é completamente perdido pelo inquilino; Ao pagar uma hipoteca, o valor pago mensalmente é investido. É por isso que, antes de decidir, é bom avaliar os prós e contras.